COMPRAR DILDO

Comprar Dildo: Dicas para ajudar na escolha do seu melhor amigue

Parte do processo de conscientização da própria sexualidade tem a ver com explorar, conhecer e abrir-se para as próprias sensações que o corpo é capaz de nos proporcionar. Para isso, podemos contar não somente com nossas próprias mãos ou de nosses parceires, mas também com diversas opções de brinquedinhos eróticos e, é claro, uma boa dose de autoconhecimento e criatividade.

Sim, não basta comprar um dildo ou vibrador! Nós, humanes, somos seres criativos e podemos usar a imaginação para dar aquela incrementada no prazer. Outra coisinha própria de nossa humanidade é a busca por informação para expandir nosso conhecimento. Então, migue, não hesite em ficar por dentro do que pode abrir a sua mente e contribuir para ampliar o seu prazer!

Vem com a gente que neste artigo você vai saber de vez que vale a pena comprar o dildo ideal para seu prazer, além de acabar com uma dúvida muito frequente que é se existe diferença entre dildo e vibrador e vai conferir nossas dicas de como escolher o seu. Desfrute!!!

Dildo ou vibrador? Existe diferença?

Bem, pra começar, sim, existe diferença e já vamos dizer qual é. Mas antes, queremos desconstruir uma ideia que muitas pessoas têm a respeito desse tema: os brinquedinhos eróticos não são coisas da atualidade, nem de gente pervertida.

O dildo é um objeto que foi criado dentro da perspectiva saúde-doença, já que estava associado à cura da histeria e, por outro lado, a histeria estava associada ao corpo com possibilidade de gestar (categoria que antes era apenas nomeada como gênero feminino ou mulher). 

Em outras palavras, o orgasmo seria provocado por meio do estímulo com tal objeto sexual, visando a cura dessa enfermidade.

Falando em orgasmo – é sempre bom aproveitar esse espaço para trazer mais informações – no século XIX, em plena era vitoriana, havia uma “dedicação” entre os casais héteros para que as mulheres gozassem na relação sexual, porque acreditava-se que orgasmo e fecundação andavam de mãos dadas.

Assim, a perpetuação da espécie estava associada ao gozo da mulher, crença desfeita pela Ciência, e que resultou na negação ao direito de gozar! 

Veja bem, na atual conjuntura, também cabe ressaltar que nosso comentário não tem a intenção de desqualificar a Ciência, mas sim, visibilizar o fato de que as mulheres perderam o direito ao gozo e, com isso, diversos tabus vieram à tona, impactando nosso imaginário ainda em pleno século XXI!

Para se ter uma ideia, quase metade das mulheres brasileiras sofrem algum tipo de anorgasmia, termo empregado pela medicina para definir a falta de orgasmo. Embora a anorgasmia já tenha sido vinculada à doenças como vaginite, por exemplo, é importante saber que a falta de conhecimento sobre o próprio corpo, bem como não permitir-se tocar e ser tocada, preconceitos sobre a masturbação feminina e falta de confiança para falar sobre o assunto são fortes fatores que contribuem para este cenário.

Dentre outras questões que atravessam a relação com o próprio corpo e a sexualidade, está a ditadura imposta quanto ao que é ou não desejável: que tipo de clitóris, grandes lábios, tamanho de pênis, a bunda perfeita, o peito farto e tantos outros padrões que a sociedade tenta impor e que há grande contribuição da indústria pornográfica para isso.

Veja bem que usamos o termo ‘indústria pornográfica’, que tende a objetificar o corpo da mulher, evidenciando padrões de prazer heteronormativos. Sorte a nossa que já temos os primeiros movimentos, como o da pornografia feminista, trazendo novas perspectivas, colocando o prazer feminino no centro das relações afetivo-sexual e dando visibilidade a múltiplos corpos e formas de sentir prazer, né migue?

É aqui que entra a nossa proposta de autoconhecimento por meio de informações e do uso de brinquedos eróticos que podem ajudar você na sua autodescoberta, bem como na aceitação do próprio corpo e, mais ainda, contribuindo para sua reconexão com o que é gostoso pra você e seu parceire.

Dito isso, vamos ver as diferenças entre dildo e vibrador?

Dildo

A maioria dos dildos possuem forma fálica e não vibram. Se você é usuárie de toys há muito tempo, deve lembrar que antes havia apenas disponível para venda brinquedos sexuais com formato de pênis, “cor da pele”, com uma textura e material nem sempre agradável.

Hoje, encontramos diversas formas, tamanhos, cores e texturas, com materiais apropriados para dar prazer e segurança. Se antes a priorização era a forma fálica, hoje, prioriza-se formas que acompanhem a melhor adequação à anatomia dos corpos, tocando os “pontos de satisfação” que podem levar os usuáries ao ápice! Uma delícia!

O ideal (e seguro) é escolher dildos com ventosa na base. Os nossos possuem ventosas super firmes, as quais servem para fixar em cadeiras, paredes, azulejos e demais superfícies lisas que façam sentido para você!

O Alpina G é um mimo lindo, com texturas em formato de pétalas que massageiam as partes penetradas. É isso, amore, satisfação garantida no cool ou na ppk e uma curvatura que vai lá no ponto G! Para brincadeiras acompanhades, ele também pode ser encaixado perfeitamente nos nossos strapons.

Para quem deseja um tamanho maior, o Big Finger é mais que bem-vindo. Assim como o Alpina G, é feito de silicone médico e também vai no cool e na ppk, estimulando a próstata ou o ponto G. São 17,5 cm de prazer em uma textura aveludada e dá para brincar com ele fixando em alguma superfície lisa ou com os strapons.

Vibrador 

Como o próprio nome sugere, os vibradores vibram! E você com certeza também vai vibrar de prazer com os diferentes formatos, texturas, modos de vibração e estimulação interna ou externa.

Tem gente que não curte o ruído o vibrador e, já pensando nisso, destacamos as opções super silenciosas como o Plim Varinha Mágica, que vem acompanhado de uma capinha que ajuda a regular a intensidade da vibração. O Plim é compacto, intenso e potente!

Quer estimulação interna e externa? O Eita Rabbit Triplo estimula o clitóris e a vagina ao mesmo tempo! Os controles de vibração são independentes para cada estímulo. Um mimo lindo e poderoso.

Para dar aquele esquenta no pré-sexo anal e deixar o seu cool muito mais relaxado, vale experimentar o But. Um plug anal vibratório a prova d’água, com controle remoto, tamanho confortável para quem está iniciando (ou não) e ideal para casais.

Imagina agora aquela sugada maravilhosa no clitóris! O Putz, 2 em 1 é sugador clitoriano e vibrador personal. Resumindo: é muita delícia em um só lugar, com 9 modos de vibração e um bocal com 5 de sucção!

Uma forma de aumentar as sensações e trazer mais aquecimento pra ppk é com a Calcinha Vibratória Fit. Você encaixa no corpo, escolhe um dos 10 modos de vibração (que estimula tanto a parte interna quanto o clitóris) usando um controle remoto e ele ainda deixa a temperatura mais quentinha.

Na hora de variar nas combinações ppk + ppk, ppk + cool, cool + cool, a boa pedida é a Queer, uma cordinha do amor com uma cápsula em cada ponta. De um lado, uma potência vibratória texturizada. De outro, uma bolinha massageadora com bolinha sobe e desce. Perfeita para brincar com o crush e sozinhe também.

Há outros modelos incríveis! Trouxemos aqui algumas opções para que você tenha uma ideia das variedades de formatos e possibilidades que dão um plus nos sentidos. COMPRAR DILDO

Motivações para comprar seu dildo

Dentre os múltiplos motivos para comprar seu dildo, sem dúvida a emancipação sexual é a number one das motivações. Imagina! É o seu prazer nas suas próprias mãos! 

Lógico que é muito bom compartilhar nosso prazer com quem a gente deseja, só que o que está em jogo aqui é a possibilidade de você reconhecer seus pontos de prazer e então poder conduzir com liberdade as suas formas de gozar.

O dildo é apto para todos os públicos! Sendo assim, com muito diálogo e carinho é possível trazer o brinquedinho para apimentar a relação.

Como você viu nos nossos exemplos, dá para brincar sozinhe ou acompanhade, usando ou não as mãos como apoio. Sem as mãos ainda rola variar a posição, mesmo estando sozinhe, dependendo de onde fixar a ventosa: de ladinho, agachadinhe, de quatro… É só soltar a imaginação! 

Como escolher seu melhor amigue

Esse é um outro tema delicado, né non? Como estamos falando em autodescoberta e liberdade, quanto mais nos conhecemos, mais fácil chegaremos à escolha do nosso brinquedinho. Isso porque o desenvolvimento do modelo envolve aspectos como estímulo, intensidade, os pontos de prazer e a possibilidade de usá-lo de maneira compartilhada ou não.

Cada corpo é um universo, é por isso que tem gente que prefere e valoriza diferentes características dos toys: tamanho, textura, curvatura, movimento… Você viu nas opções que apresentamos algumas possibilidades que atendem a gostos diversos.

Agora, fique atente ao próximo tópico, porque vamos falar de algo que deve ser observado independentemente do modelo.

Cuidadinhos especiais

Tanto o dildo quanto o vibrador pedem alguns cuidados que devem ser levados em consideração:

Lubrificação

Para deixar tudo mais gostosinho, utilize lubrificantes ou géis apropriados para suas delícias. Os nossos são à base de água, apropriados para serem usados diretamente nos toys ou na camisinha, possuem um PH que não desequilibra a flora vaginal, mantendo a saúde da ppk em perfeita harmonia.

Além disso, são veggies, sem uso de teste em animais e livres de petrolato, sultato e parabenos e com mais quantidade se comparados aos demais.

Higienização

Leia bem as instruções que acompanham os mimos. A higienização é necessária tanto para preservar a saúde quanto para garantir a durabilidade dos toys, afinal, o que é bom deve ser cuidado para durar, né migue?

Via de regra, lave e seque antes e depois do uso e guarde em um lugar seco e arejado. Se vai usá-lo no sexo anal, nunca use-o na vagina sem a devida higienização. Também rola, dependendo do modelo, colocar uma camisinha para as brincadeiras.

Ventosa/base mais larga

Observe como os alguns modelos têm uma base mais larga. Especialmente em relação ao uso no cool, caso não tenha a base, seu toy pode literalmente ser sugado e não ter forma de tirá-lo, a menos que seja com ajuda médica, o que seria uma situação bem constrangedora e desagradável. Daí a necessidade de contar com essa base de segurança, deixando você livre só para o prazer!

Solte a imaginação

Alguns suportes ajudam a incrementar ainda mais a criatividade! Dá uma olhadinha nesses strapons! Têm formatos de calcinha ou cueca, super confortáveis, com um triangulinho na frente pra você encaixar o dildo e deixar as mãos livres, leves e soltas enquanto penetra u mozão.
Tomados os cuidados, solte a imaginação e seja feliz, migue!

Conclusão

Então, amore, deu pra perceber que não faltam opções pra decidir a compra do seu dildo ou vibrador, né non? 
Mas o mais importante é investir em uma boa dose de autoconhecimento, cuidado e carinho com o próprio corpo. Tudo isso contribui para relações mais saudáveis, nas quais não colocamos toda a expectativa e responsabilidade do nosso prazer e bem-estar nas mãos de outres.
Desejamos que este artigo contribua para que você escolha o dildo que faça sentido pra você.