COMO SABER SE CHEGUEI AO CLIMAX

Como Saber Se Cheguei ao Climax? 10 sinais de que você chegou lá!

Infelizmente, a pergunta “como saber se cheguei ao clímax?" é mais comum do que se imagina! E dizemos infelizmente, porque essa falta de conhecimento representa o quanto o tema ainda é pouco falado ou muito mitificado na nossa sociedade, especialmente quando se trata do prazer feminino.

Entre o “sobre isso não se fala” e a “mitificação”, todo mundo sai perdendo por tirar o prazer de um lugar natural, abrindo espaço para dúvida, vergonha e muito tabu!

Mas isso não precisa ser assim para sempre, né, migue? Aliás, quanto mais informações tivermos a respeito, melhor poderemos desfrutar das delícias que nossos corpos são capazes de proporcionar, sozinhes ou não! Por isso, fique ligade neste texto e prepare-se para conhecer, reconhecer e incrementar seus ápices de prazer! Ai, ai...

O que é clímax ou orgasmo?

Para começar, é sempre bom lembrar que o orgasmo é uma das fases do prazer sexual e ele varia em forma, intensidade e pode ser bem diferente de pessoa para pessoa. De qualquer forma, o chamamos também de clímax, exatamente por ser o ponto mais alto dentre as fases.

Mas veja bem, o fato de afirmarmos ser o ponto mais alto, não significa que seja algo surreal. Algumas vezes pode ser, outras vezes não. O céu não deixa de ser céu, porque as estrelas não estão brilhando, não é mesmo? Maaassss, um céu estrelado é muito melhor! É por isso que vale a pena conhecer as estrelas do clímax sexual. Inclusive já demos dicas por aqui sobe Orgasmo Feminino.

Em termos de resposta sexual, no momento do orgasmo, o corpo apresenta várias mudanças: há uma maior sensibilidade de toda a zona vaginal; o clitóris fica mais volumoso e em tonalidade avermelhada ou arroxeada; a pressão arterial aumenta, assim como o ritmo cardíaco e respiratório, que avança, avança, avança e aaaahhhh!!!

Sim querides, muitas vezes o suspiro final enquanto o gozo chega vem acompanhado de gritos e grunhidos de prazer, enquanto fisicamente o corpo ainda reage com contrações na musculatura pélvica, que pulsam rapidamente até dar lugar ao mais puro relaxamento.

E o melhor não para por aí! Quem tem pepeca tem uma vantagem ma-ra-vi-lho-sa em comparação a quem não tem: caso ela siga recebendo estímulos, o orgasmo pode acontecer váaaarias vezes! No caso do pênis, devido a sua anatomia, ele precisa dar uma boa cochilada depois do gozo.

Mas voltando ao ponto (e por enquanto não é o G!), vamos falar das demais fases do prazer sexual, nas quais o orgasmo está envolvido. Afinal de contas, uma coisa não invalida a outra e tudo está super conectado.

Estudiosos da área de psicologia, sexualidade e afins definem que o chamado ciclo de resposta sexual está dividido em desejo, excitação, orgasmo e resolução. O despertar do desejo está relacionado ao que vemos, percebemos e sentimos. E isso pode vir das mais variadas possibilidades.

Sabe aquele áudio do crush no WhatsApp no meio da tarde monótona no trabalho que acende o tesão? Aquela fotinha safada, aquele pensamento “do nada” ouvindo um conto erótico? É isso!

Depois que acende o fogo, amore, o corpinho já começa a dar sinais de excitação: pepeca molhadinha, mamilo intumescido, aquela respirada mais profunda e por aí vai… Se tiver a possibilidade de seguir no esfrega-esfrega vai chegar lá na parte que a gente já falou anteriormente: ai, gozei!

A resolução vem justamente após o clímax, quando o corpo retoma seu estado anterior à excitação, seguido da sensação de relax total. Dizem que gente feliz não incomoda. Gente que goza também não! rsrsrs

Tá achando tudo muito ordenadinho? Pois é! Outras correntes de estudo da sexualidade também chegaram à mesma conclusão. Peraí! A dinâmica do prazer feminino é muito mais complexa e mutante, para ser mapeada em quatro fases, que inicia de UMA FORMA e termina de outra, né non?

Levando isso em consideração é que se pode pensar no modelo circular de resposta sexual feminina difundido pela psiquiatra canadense Rosemary Basson, o qual abrange aspectos como intimidade emocional, neutralidade sexual, estímulo sexual, desejo sexual "espontâneo", excitação sexual, desejo e excitação sexual e satisfação emocional e física.

É coisa à beça, hein!? Mas vamos seguir no tema, porque quanto mais se sabe, mais se goza!

Por que algumas pessoas não conseguem identificar se chegaram ou não?

Bem, depois de saber que tudo isso pode rolar, poderia ser óbvio saber se cheguei lá ou não, certo? Pois é… Mas nem sempre isso rola, sabe por quê? Por causa dos mitos, vergonhas, medos e tabus que começamos a falar lá no início do post.

O tema fica muito escondidinho e às vezes, quando algum meio resolve falar sobre, faz tanto carnaval, joga tanto confete e serpentina que acaba padronizando a nossa percepção do que é ou do que não é. Por isso, é que no tópico a seguir vamos falar dos sinais para que você possa, a partir do autoconhecimento, identificar isso no seu corpinho! Vamos lá?

COMO SABER SE CHEGUEI AO CLIMAX

10 sinais de que você chegou ao clímax

Olha só! Não vamos nem colocar números nos sinais para você não cair na tentação de achar que é tudo ou nada, nem que é na ordem exata do que está registrado aqui, tá bom? Os sinais são apenas elementos para você mergulhar e confiar no seu próprio caminho e reconhecimento do seu prazer.

Ai que calor!

Sim, migue, a temperatura pode subir (e muito!) nessa hora, então prepare-se para suar a camisa, a cama, a mesa, o chão… Se joga!

Tum, tum, bate coração

O ritmo cardíaco acelera para dar conta de aumentar o fluxo sanguíneo e facilitar a oxigenação, porque seu fôlego será exigido ao chegar lá.

Respira

Com tanto calor e o coração a mil, é natural que a sua respiração chegue a níveis ofegantes para acompanhar o ritmo. Confie!

É pra te ver melhor

Até a visão amplia no momento do clímax, em que a pupila dilata para ver tudo muito melhor. Como vimos, os estímulos femininos são complexos e envolvem todos os sentidos.

À flor da pele

A pele toda pode estar muito sensível na hora do orgasmo, chegando a ficar toda arrepiada. O mesmo chega a acontecer com os seios que também podem ficar arrepiados com os bicos muito enrijecidos. Por ser o maior órgão do corpo humano, a pele pode ser um grande pólo erógeno de prazer. Explore-se!

Tá tudo molhadinho

A lubrificação vaginal aumenta significativamente nessa hora, facilitando o vai e vem para incrementar o prazer e também pode haver maior produção de saliva na boca.

Tudo mudou

A olhos vistos o clitóris aumenta de tamanho, ficando mais inchadinho e suuuuper sensível. Lembra do coração bombando para fazer o sangue circular? Então, isso também vai influenciar na coloração da zona vaginal, lábios, grandes lábios, clitóris e até das suas bochechas. Não tem como negar!

Mexe, mexe

No momento do ápice é possível ainda que o corpo sinta impulsos de inclinar-se para frente, para trás ou tronco para um lado e pernas para o outro, tem gente que chora, tem gente que ri, há contrações involuntárias na região pélvica, anal, nas pernas. Tem de tudo e está tudo bem.

Não toca agora

Existe a possibilidade de querer afastar-se du sue crush, para fechar as pernas ou segurar a sua pepeca para preservar a sensibilidade mais expressiva do clitóris. E lembre-se que é só no momento do clímax, depois é só chegar com jeitinho pra você chegar lá de novo, de novo, de novo…

Treme, treme

É comum também que surjam espasmos musculares ao longo do corpo que podem ser intensos ou muito sutis, podendo durar 6, 10 ou 20 segundos.

Dicas para chegar ao clímax com mais frequência

Legal! Já sei, já cheguei, agora eu quero é mais!

Para chegar lá com mais frequência, abra sua mente e explore seu corpo, por aqui também já falamos como se masturbar sozinha. E aproveitando a não linearidade da sexualidade feminina, vale apostar em diferentes estímulos para descobrir o que realmente mexe com o seu prazer. Já pensou em explorar o seu corpo através das sensações de um vibrador? Existem tantos modelos que certamente um irá te agradar, e pra te ajudar nessa escolha, aqui vai o nosso artigo te ensinando a escolher um pra fazer sexo com vibrador.

Caso você ainda não queira adicionar um sextoy, você pode optar por géis lubrificantes que causem sensações na pele para incrementar a sua masturbação.

Seguindo essas dicas, você, logo mais estará experiente em como chegar lá.

Espalha a novidade por aí, que você não é baú, né?

Já ouviu dizer que quem guarda segredo é baú? Ainda bem que a gente é gente e o que é bom deve ser compartilhado.

O conhecimento é a melhor forma de combater o tabu e colocar nossa sexualidade no lugar que ela nunca deveria ter saído: o da naturalidade.

E se a partir deste post a gente puder mudar o “como saber se cheguei ao clímax?” por “senta aqui que já sei desse babado e vou contar pra você como é que é!” vai ser o maior orgulho fazer parte dessa revolução delícia, concorda? Contamos com você?


Strapon, SIM! Cintaralho, NÃO!
Prazer e desapego: Como ter um PA