Frete Grátis Acima de $250,00
Até 3x sem juros ou 12x no cartão
0 Carrinho
Mais R$ 250,00 para frete grátis! 😉
Seu carrinho está vazio no momento.
Orgulho LGBT+! Pantynova lança Guia do Pink Money - sex shop pantynova

Orgulho LGBT+! Pantynova lança Guia do Pink Money

A gente queria só falar de coisas leves e alegres, mas pra falar de Orgulho LGBT+ é importante falar da luta constante por direitos, por inclusão, por igualdade. 

Desde a Rebelião de Stonewall Inn, em 28 de junho de 1969, que deu origem ao Dia do Orgulho, muita coisa mudou. Conquistamos alguns direitos, sim, e devemos comemorar, mas ainda há muito para ser conquistado. 

Por isso seguimos lutando, né, mores?! Lutamos para ser quem somos, para que possamos exercer nossa diversidade, nossa sexualidade e amar quem / da maneira que quisermos, afinal, ser do vale requer coragem também. 

E é essa luta do dia a dia que nos dá orgulho de fazer parte de uma comunidade tão foda! 

Orgulho LGBT+, LGBTQI+, LGBTQIAP+, qual a diferença?

Muita gente se pergunta o porquê de tantas siglas e se existe diferença entre elas. São muitas as variantes da sigla LGBT, que começou a ser usada por ativistas nos anos 1990 para se referirem a pessoas que não se enquadram nas normas de gênero, seja pela identidade, pela orientação sexual ou por características sexuais.

Basicamente, não há diferença entre as siglas, pois o símbolo de mais (adição) pressupõe a inclusão de qualquer minoria não-heterossexual ou não-cisgênero.

Como há diversas variações e não existe uma padronização certa, nós, da patynova, optamos por usar LGBTQIAP+, porque acreditamos que abarca uma diversidade mais ampla. Mas se você não se sentir representade, fala com a gente! Nosso canal de conversa tá sempre aberto a todes.

Guia do Pink Money pantynova: empreendedorismo queer e empoderamento

Para quem ainda não sabe, pantynova é uma marca criada por sapatonas, gerida por pessoas LGBTQIAP+, e conta com um time composto em sua maioria por pessoas do vale. É,  muonas, cada reunião de equipe é quase uma parada da diversidade! 🏳️‍🌈

Pelo terceiro ano, juntamos marcas geridas por pessoas LGBTQIAP+ em um catálogo, o Guia do Pink Money 3@ edição!

Ilustração. Dia do orgulho. Logo do Guia do Pink Money pantynova

A gente acredita que promover o empreendedorismo queer é também um jeito de lutar, de celebrar, de colocar o povo LGBTQIAP+ no papel de protagonista. A gente quer ver as gays, lésbicas, bis, trans, pans, drags… e todes vocês no topo! Afinal, sabemos que nós somos muito mais que uma legenda e que levantamos nossas bandeiras a cada dia.

O guia tem o objetivo de conscientizar as pessoas LGBTQIAP+ sobre como usar o seu dinheiro em produtos de marcas que realmente atuam para favorecer a diversidade e a inclusão 365 dias por ano, e não somente durante o “Mês do Orgulho”.

Neste ano, o guia traz 8 marcas, sendo 7 inéditas (a 8ª é a gentchy, que não poderia faltar, né!?). 

Vem ver quem tá na 3@ edição do Guia do Pink Money pantynova!

pantynova

A pantynova nasceu do desejo de duas mulheres lésbicas, Iza e Lola, de terem sex toys que fugissem dos padrões falocêntricos e servissem em diferentes corpos. Hoje, a marca, pioneira em bem-estar sexual no Brasil, produz mais de 15 vibradores e acessórios, como strapons, coleiras e algemas, e, através do seu site e das redes sociais, tem um papel importante na (re)descoberta da sexualidade e na busca pelo prazer, com muito bom humor, leveza. | @novapanty

Afroperifa

A marca de Moda Afro Urbana da Periferia Street Wear foi  criada pelo designer de moda Willian André para  incentivar o afroempreendedorismo e trabalhar as identidades negras, promovendo a autoestima e o empoderamento do público preto e periférico, e buscando identidade, resistência e valorizando as raízes ancestrais. Costureiras, fotógrafos, designers, artistas e modelos da Afroperifa vivem na periferia de São Paulo (Perus, Zona Oeste). Isso faz com que role uma identificação entre marca e público-alvo, formado em grande parte por pessoas que moram na ZO e em outras periferias. | @afroperifa_ 

Cápsula

Desde 2014, a Cápsula, marca de vestuário criada por Mariana Folego une moda e bom humor. Memes e críticas se juntam a cenas e personagens do mundo pop em coleções de roupas e acessórios feitos, principalmente, por mulheres. O respeito por profissionais e todas as pessoas envolvidas nos processos é uma tônica da marca, que acredita na inovação para crescer de forma responsável, ética e sustentável. | @capsulashop

Nohs Somos

A Nohs Somos é uma startup de impacto social que tem o propósito de promover o bem-estar da comunidade LGBTQA+ e auxiliar as empresas na sua gestão inclusiva, para isso, oferece consultorias de diversidade e inclusão. A ideia principal é conectar pessoas LGBTQIAP+ a lugares, produtos e serviços amigáveis através da tecnologia. | @nohs.somos

O Jambu

Inspirada pela brasilidade da planta que dá nome à marca, O Jambu é uma marca de acessórios que se alimenta das memórias, das vivências atuais, das almas e dos valores de seus criadores: Carol Maqui, mineira, e Swami Cabral, paraense.

A diversidade da nossa flora inspira a produção de bolsas e mochilas para todes! Os acessórios multifuncionais são feitos de materiais diversos, alguns de reuso, formando um mix único. | @ojambu_bags

Pulsa

Ampliar as vozes da comunidade é um dos ideais da pulsa, livraria criada por Caroline Fernandes e Fer Krajuska. A pulsa é feita por e para pessoas LGBTQIAP+, com uma seleção de livros, publicações e artes que propõem novas narrativas, abandonando as velhas versões das histórias que sempre nos contaram. | @livrariapulsa

Queerida Joias

A Queerida Joias foi criada por Rony Diego e Ruan Henrique, movidos pelo sonho de representar o público LGBTQIAP+. Os acessórios são feitos com amor e criatividade (porque as bicha tem que ser criativa meeesmo) para romper barreiras de gênero evalorizar a diversidade das pessoas do vale. Além da venda de acessórios, a marca gera conteúdo de educação, conscientização, saúde e empreendedorismo voltado para pessoas LGBTQIAP+. | @queeridajoias

Yes, I Am

Fundada, construída e feita para mulheres, a marca de Fernanda Veríssimo e Raquel Ferraz , mulheres lésbicas, tem como principal meta a criação do melhor jeans possível. As peças são produzidas no Brasil, em cadeia justa e humanizada, com as melhores matérias-primas disponíveis e através de técnicas visam o desenvolvimento do produto mais sustentável.

As peças da Yes I am Jeans têm modelagens clássicas e atemporais, que valorizam diferentes corpos sem abrir mão do conforto. | @yesiamjeans


É, isso, people! Seguimos juntes e cada vez mais fortes!


Orgulho LGBT+! Pantynova lança Guia do Pink Money