República da pepeka

Conto Erótico - República Da Pepeka

Prefere ouvir? 👩🏻‍🎤 Não tem problema, clique play e ouça o conto erótico narrado por nós.

Tudo aconteceu quando eu ainda era uma caloura no meu primeiro ano de faculdade. Eu nunca fui uma garota tímida, eu na verdade sempre fui do tipo super extrovertida. Eu fui a primeira a beijar um menino na escola e também a primeira a pegar um boy por inteiro se é que vocês me entendem… Eu lembro de comentar com as minhas migas sobre minha experiências e chocar geral.

Eu me apaixonei e namorei um menino no colegial, parecia que nós iríamos passar o resto da vida juntos, era tudo muito intenso e lindo. Após a formatura do colegial os seus pais se mudaram para os Estados Unidos e ele acabou indo junto, nós concordamos que seria melhor nos separarmos. Eu fiquei muito triste e meio deprimida, mas em poucos meses já começaria a faculdade então me ocupei curtindo as minhas férias e tentando esquecê-lo.

A faculdade começou e eu fui morar em uma república de meninas, uma amiga da minha mãe tinha uma filha morando lá, então eu me mudei sem nem mesmo conhecer as moradoras! Eu estava super empolgada de ir morar ~sozinha~! Agora eu poderia ser eu mesma, sem me preocupar com julgamentos de família.

Meus pais e eu dirigimos até a república, nós chegamos e fomos recepcionados por uma garota chamada Carolina. Carolina nos abraçou e foi muito, muuuuito amiga mesmo. Ela pareceu muito feliz de dividir quarto comigo e eu fiquei muito animada! Meus pais foram embora e eu já fiquei por lá mesmo para começar a organizar o meu novo armário!

Eu nunca havia me considerado sapatão mas sempre tive atração pelo corpo feminino. Eu me lembro de sempre olhar e admirar as curvas de outras mulheres. A minha colega de quarto, Carolina, ela tinha cabelo castanho, olhos escuros e pele morena, ela era muito gata. Ela me disse que também tinha terminado com o seu namorado, mas isso já tinha acontecido fazia alguns meses. Eu contei o que aconteceu comigo e ela pediu para eu esquecer isso, que fazer faculdade solteira era muito mais divertido, rimos juntas e ela foi me apresentar para as outras meninas que moravam no apartamento.

Uma semana depois…

Durante toma a semana eu percebi que eu ficava reparando nela enquanto ela trocava de roupas. Ela tinha os seios mais lindos que eu já havia visto na minha vida. Eles eram uma delicia, e eu não conseguia desviar o olhar. Mal sabia se eu estava sentindo aquele tesão todo porque já não me masturbava fazia um tempo, ou se eu estava com uma curiosidade lésbica. Um desses dias ela tirou as suas roupas e foi até o banheiro, e então pensei que aquela seria a hora perfeita para me masturbar.

Quando me masturbo gosto de montar no meu travesseiro, a fricção do travesseiro e tecido com o meu clitóris me dá muito tesão e eu geralmente gozo bem rapidinho quando faço isso. Enfim, tirei as minhas roupas, massageei o meu clitóris e fui me tocando. Montei o meu travesseiro e enquanto tocava o meu clitóris eu apertava os meus mamilos… Que tesão… Quando eu já estava perto de gozar a porta do meu quarto começou a abrir! Eu pulei e me cobri com o meu edredon!

Carolina entrou no quarto e percebeu o que estava acontecendo, foi muito constrangedor! Ela olhou para mim e perguntou "Eu perdi alguma coisa?". Eu logo disse que fazia tempo que não me masturbava e já não aguentava mais, me desculpei mas ela sorriu e disse que aquilo não era um problema.

"Eu entendo, eu também fico assim, mas comprei um vibrador a prova d'água então toda vez que eu vou tomar banho eu aproveito para me masturbar" disse ainda sorrindo. Ela então me mostrou ele e ambas rimos daquela situação constrangedora, mas foi muito bom saber que ela me entendia e não me julgava.

Nesse mesmo dia nós combinamos de ir beber na casa de uma amiga nossa. Saímos da aula já um pouco tarde, pegamos um Uber e chegamos lá por volta das 22:00. Eu ainda estava super envergonhada de ter sido pega me masturbando, mas além da vergonha também estava frustrada por não ter conseguido gozar! Enfim, chegamos na festa e após alguns drinks resolvemos perguntar sobre o passado sexual uma da outra.

“Com quantos caras você já trepou?” Carolina me perguntou.

Eu disse 3. Ela riu. Eu fiquei vermelha e perguntei com quantos ela já tinha dormido, ela disse 6. Caroline então comentou que já estava na hora de subir o meu número de 3 pessoas para 4, e que encontraríamos alguém naquela noite. Só de ouvir isso eu fiquei excitada!

Durante toda a noite eu só conseguia pensar em pegar alguém, eu queria muito transar, eu queria muito aquelaaa pegada, eu estava sedenta por sexo! Tinha uns carinhas da faculdade na festa mas todos bêbados demais, magia negra, saca? Então eu não peguei ninguém e Carolina e eu resolvemos voltar para casa.

Nós fomos rindo no caminho e conversamos sobre como os meninos eram trouxas. O clima de descontração acabou quando chegamos no nosso apartamento. Nós entramos no nosso quarto e eu ouvi ela trancando a porta. Eu arregalei os meus olhos e virei para trás.

“Você já transou com uma garota?” Carolina perguntou.

Eu com cara de assustada disse que não! Carolina se aproximou de mim e me beijou. Eu só pensava que aquilo não poderia ser real! Eu estava mesmo prestes a trepar com a minha colega de quarto? Eu senti um frio na barriga e mesmo assim eu podia sentir a minha xoxota pulsando de tesão e ficando toda molhada. Eu a beijei, tudo aquilo era muita loucura mas eu estava curtindo cada segundo.

Ela foi me beijando e me empurrando em direção a sua cama. Carolina montou em cima de mim e começou a lamber e beijar o meu pescoço, ela fazia isso como nenhum outro cara já havia feito. Ela então tirou o meu sutiã e começou a lamber ao redor dos meus mamilos até que eles ficassem bem durinhos. Ela então dava mordidinhas e aquilo me deixava tão excitada…. Levantei as minhas pernas dando sinal que queria mais.

Ela foi descendo e beijando meu estômago até chegar na minha calcinha. Carolina olhou para mim e eu já não podia mais me segurar. Eu pedi que ela me chupasse. Ela puxou a minha calcinha para o lado e eu pude sentir a sua respiração ofegante na minha bucetinha.

Eu já estava pingando de tesão, eu achei que iria gozar ali mesmo antes mesmo de ela chupar a minha xoxota. Eu gemia e ela então passou a sua língua gostosa e molhada na minha buceta. Meu clitóris já estava rígido e pulsante quando ela começou a chupá-lo, que sensação incrível, a cada chupada eu gemia cada vez mais alto. Eu gozei bem ali, nessa hora, gemi alto enquanto sentia essa chama correndo pelo meu corpo.

Depois que eu gozei ela me beijou. Eu podia sentir um gosto da minha bucetinha em seus lábios, e então ela me desejou boa noite. Carolina foi para sua cama e nunca mais falamos sobre o assunto. Estranho, né? Mas foi delicioso… Eu nunca tive um orgasmo tão intenso e gostoso como nesse dia…

Que tal seguir o nosso podcast e receber notificações a cada nova publicação? Assine o nosso canal no ITunes ou Google Play, é grátis! Clique no ícone abaixo para assinar.


Sugestão de produtos

 


2 comentários

  • Mas gente, como assim nunca mais falou?
    Nam, eu ia querer sempre.

    Nayar
  • Só acho que você deveria aproveitar ainda mais a companhia dessa colega de quarto, mana!

    E já dizia mano Jorge: “Carolina é uma menina bem difícil de esquecer! Carol. Carol. Carol. Carol”

    La Belle

Deixe um comentário!