conto erótico de natal mimos natalinos

Mimos Natalinos

Conto Erótico - Mimos Natalinos

Prefere ouvir? 👩🏻‍🎤 Não tem problema, clique play👇  e ouça o conto erótico narrado por nós.

Dingo bell Dingo Bell na ná na ná naaaaa!

Eu amo o Natal amadas, dia 1 de Novembro e eu já enfeito a casa inteira! Tenho caixas e caixas de decoração natalinas, eu sou o próprio espírito natalino, acho que as pessoas ao me redor até se irritam um pouco com a minha empolgação, mas eu não ligo, afinal, esse é o meu jeitinho.

Já até tentaram sabotar a minha felicidade, lembro de uma vez que eu fui toda de verde e vermelho para o shopping aqui da cidade, fui comprar presentes para a minha família toda! E ao entrar na loja a vendedora falou baixinho "olha lá, chegou a árvore de natal". Eu fiquei arrasada migas, minha vontade era começar uma briga ali mesmo, mas resolvi fazer a linha superior e fui até o banheiro chorar kkkk…. Foi triste, mas vamos voltar a falar de coisa boa né? Se bem que esse ano, 2020, está difícil falar de coisa boa...

Minha tradição de natal é a seguinte: Uma semana antes eu já compro todos os presentes e cuidadosamente os embrulho. Alguns dias antes também já compro todos os ingredientes da ceia de natal e já vou deixando pronto o que dá para adiantar. E claro, na véspera de Natal toda a minha familia vem pra cá! A minha casa sempre foi o ponto de encontro natalino! Eu amo, amo cada etapa dessa preparação toda.

Mas muito que bem, não é novidade para ninguém que o coronga vírus está a solta, portanto, esse ano infelizmente não vou poder receber os meus familiares em casa, esse ano vai ser diferente. Este natal vai ser só nós duas, Luana (minha esposa) e euzinha. A gente achou melhor não convidar ninguém e também não ir visitar ninguém, já já a vida volta ao normal, por enquanto precisamos nos cuidar, né?

E então a logística de natal mudou: para compensar a tristeza eu já coloquei as decorações todas em Outubro! Assim, do nada, no meio da noite, fui lá, peguei as minhas caixas e comecei a decorar a casa toda.

- Gi, o que é isso? - Minha esposa tinha acordado, era uma madrugada de sexta para sábado e eu estava a mil.

- Dingo bell Dingo Bell na ná na ná naaaaa! - eu cantarolava olhando para ela e fazendo uma dancinha feliz.

- Amada, ainda é Outubro.

- Luana porque queres matar meu espirito natalino? Fores contaminada pelo micróbio da tristeza?

- Ai Gi você não existe, vem dormir comigo, amanhã eu te ajudo.

Nem pude acreditar, a Gi não é muito de natal, e se ela se ofereceu para ajudar com as decorações é porque estava se acostumando com o meu espírito natalino! Continuei cantando minhas musiquinhas natalinas a caminho do quarto, deitei e ficamos de conchinha na cama.

- Amor, tá calor demais pra ficar de conchinha.- Luana reclamava do meu grude

- Só mais um pouquinho, agora me diz Luana, o que você quer de Natal?

- Saúde, amor e esperança, e isso eu já tenho, então que tal uma boa noite de sono agora?

- Ainnn que fofa, mas e os mimos Lu? Fala pra mim, me dá uma dica, o que você quer?

- Gi, amor, nada, não quero nada.

- Nem isso aqui? - Disse enquanto descia as minhas mãos pelo seu corpo.

- Hmmm - ela gemeu baixinho, colocou as suas mãos sobre a minha e empurrou seu bumbum contra mim.

Eu então comecei a beijar o pescoço dela, a porta ainda estava aberta, o quarto se iluminava com as luzes de natal do pisca pisca que tinha esquecido ligado. Logo minha mão estava entre as suas pernas.

Luana gemia baixinho, ela acariciava os seus mamilos durinhos por baixo do lençol. E a minha mão se aproximava mais e mais do seu sexo, sentia a umidade gostosa e sua bucetinha quente esperando pelos meus dedos. Continuava beijando o seu pescoço e logo cheguei ao seu clitóris.

Com três dedinhos eu esfregava o seu grelinho, enfiava um dedinho e me lambuzava nos sucos da boceta dela. Voltava a esfregar o grelinho dela com a sua lubrificação quente e deliciosa.

Hmmmmmm, Luana gemia cada vez mais alto e logo começou a siriricar com suas mãos. Eu então desci e a chupei muito, muito gostoso. Enquanto chupava a sua xoxota eu me dedava, e nós gozamos muito naquela noite.

Ai gente pera, ainda era Outubro! Natal nem estava perto, essa transa foi boa mas nem se compara com a nossa transa Natalina! Então bora de dingo bell dingo bell que o tema do conto é Natal!

Pois muito que bem, como disse, esse Natal seria diferente, só a Luana e eu! Então resolvi fazer uma brincadeira: comprei um tanto de presentes sem sal para ela! Não foi ela que disse que não queria nada? Então ótimo, iria presenteá-la com meias, porta copos e um livro de receitas (detalhe: Luana não gosta de cozinhar). Estava animadíssima, nem poderia esperar para ver a reação dela abrindo os seus mimos.

Você aí ouvinte deve estar se perguntando: Nossa Gi que maldade, vai mesmo fazer isso com o amor da sua vida?

E eu respondo: Claro que não, esses presentinhos são só para ver a reação dela e diminuir as expectativas de Luana, daí sim, depois do livro de receitas eu iria dar os presentes de verdade.

Já no início de Dezembro fiz a minha listinha de presentes para a minha amada, queria que esse natal fosse inesquecível e muito gostoso. Então lógico que fui na pantynova.com e comprei um kit com tudo o que temos direito.

Comprei um sugador clitoriano para sugar o seu grelinho enquanto eu chupava os seus seios. Comprei um plug anal para vibrar em seu bumbum enquanto penetrava a sua vagina quente e molhada, e por fim comprei um strapon e dildo pantynova, o kit perfeito de natal! Enquanto fazia as minhas compras confesso que fui ficando excitada só de imaginar como usáriamos aqueles brinquedos todos, que delícia…

Comprei já no comecinho do mês para garantir os meus mimos e para que eles chegassem a tempo. E foi assim, chegaram super lindos e logo os embalei e coloquei embaixo da árvore.

- Nossa Gi, quantos presentes, esse ano é só você e eu, você sabe né?

- Sei sim amore, são só pequenos mimos.

- Tá bom, eu comprei só um presente mas acho que você vai gostar - Luana disse com sorriso no rosto.

- O que é amor que você comprou? - perguntei descarada mesmo fodase.

- Gi é presente de natal, você sabe que não posso dizer. - Ela respondeu.

- Mas eu sou curiosa, então o que é? - insisti.

- Amada você vai ter que esperar! - Luana disse e saiu da sala, logo voltou com seu presentão embrulhado, era uma caixa grandinha até, e com um laço enorme.

- Nossa que caixão, é um Ipad? -Perguntei, insistindo novamente.

- Deixa de ser chata Gi - Luana disse já irritada, e eu logo comecei a fazer minha dancinha natalina ao redor dela para irritá-la ainda mais.

Dingo bell Dingo Bell na ná na ná naaaaa! dia 24 de Dezembro! tudo perfeito, claro que seria muito melhor com as nossa famílias aqui em casa, mas tudo bem, eu estava 100% preenchida pelo espírito natalino e a Luana também! Ela até fez a dancinha de natal comigo, enquanto comíamos panetone no café da manhã.

13:00 em ponto e a mesa de natal já estava decoradissima. Nossas taças brilhando, os talheres também. A casa preenchida pelo cheiro confortador das comidas natalinas e as músicas de natal rolando. De Mariah Carrey a Ivete Sangalo, tudo junto e misturado nos fazendo dançar a cantarolar.

Dia foi passando, lá pelas 18:00 fui me arrumar. Fiz um verdadeiro ritual de beleza, a comida e tudo mais já estava pronto, então peguei um tempinho para ficar ainda mais linda e potencializar a grande gostosa que sou. Fiz máscara, cuidei da pele, esfoliei o corpo, tratei meu cabelo, e claro, bati uma siririca no banho pq eu não sou obrigada. Saí do banho, passei hidratante pelo corpo todo, e vesti um vestido curto, decotado e bem levinho de seda. Enquanto me preparava, Luana também estava na mesma vibe, ela estava se arrumando em outro quarto da casa e eu mal podia esperar para ver a minha mulher.

Sigo pronta, linda, pego duas taças e aguardo olhando para o corredor, esperando Luana. E ela logo sai do quarto, linda, deslumbrante. Ela veste um vestido também muito leve, posso ver os seus mamilos durinhos, vejo as suas curvas, e claro, seu sorrisão lindo olhando para mim e caminhando em minha direção.

- Minha deusa que lindaaaaa. - disse e comecei a aplaudir.

- Aff para com isso, cadê meu drink? - Luana disse, ela é muito tímida e muito gostosa! Amo a minha mulher!

Bebemos, rimos muito, ligamos para toda a nossa família e por fim: MEIA NOITE! Jantamos, bebemos mais um pouco e logo eu levantei dizendo que era hora de abrir os presentes!

- Hora dos mimos EEEEE! - Disse bem animada!

- Abre o seu primeiro!

Luana disse, e eu disse que não, que ela tinha mais presentes, então tinha que abrir um a um. Trouxe então o par de meias, e ela abriu e sorriu com um sorriso bem amarelo.

- Nossa mô, não gostou? Me dá um sorriso vai! Abre esse aqui oh. - e dei para ela o porta-copos.

- Nossa que tudo, você ahazou nos presente mesmo hein Gi… - Ela disse sendo debochada, e eu então dei pra ela o livro de receitas. - Gi você sabe que eu não gosto de cozinhar...

- Nossa, mas essa festa virou um enterro. - Eu disse e comecei a gargalhar, e ela ali me olhando super séria.

Então peguei os mimos da pantynova e dei pra ela. Ela abriu um, arregalou os olhos, rasgou outro, sorriu um sorriso largo e no terceiro ela já parecia hipnotizada pelos mimos. Abriu o terceiro e gritou de alegria.

- Que gostoso! Obrigada amor. - ela me agradecia e me enchia de beijinhos.

- E então, bora testar?- Perguntei com voz de safada, até esqueci que eu tinha presentinhos para abrir.

- Ué amor, esqueceu do seu presente? Vai lá abrir! 

Luana disse eu fui correndo rasgar aquele pacote maravilhoso, e adivinha? Pois é amadas, tivemos exatamente a mesma idéia, minha esposa me presenteou com um mimo erótico da pantynova, um microfone massageador bem potente. Eu sempre quis um mas sempre deixava pra depois.

- Gostou? - Ela perguntou, e eu sorri e disse que sim, dei muitos beijinhos nela e falei que a amava.

- E então, vamos virar essa noite de natal acordadas, que tal? - Ela disse enquanto abria mais uma garrafa de champanhe.

Luana então encheu minha taça, brindamos e sentamos no sofá. Logo ela me deu um beijão molhado, lento, muito gostoso. A sua língua deslizava na minha boca e me dava pequenas mordiscadas. Entre um beijo e outro ela se afastava, me admirava, sorria, e voltava a me beijar.

Fomos nos beijando sem pressa, sabe? Aproveitamos o beijo, e posso dizer que eu fui ficando encharcada de tanto tesão. Os seus lábios macios e molhados me davam muito desejo. Fui acariciando o seu cabelo e logo comecei a puxar a alça do seu vestido para baixo, assim expondo os seus belos seios.

Ela então também abaixou o meu, e ficamos ali, sentadas, nos beijando e com os nossos seios expostos. Ela então colocou seu dedinho no meu mamilo e começou a brincar com ele enquanto me olhava fixo.

- Gosta assim?

Ela perguntava enquanto alisava os meus seios. Ela então colocou seu dedo em minha boca, eu chupei, e com seu dedinho molhado ela voltou a acariciar os meus mamilos durinhos e excitados.

- E assim?- Ela perguntou e logo colocou o meu seio em sua boca, e me mamava enquanto massageava o meu outro seio com a sua mão.

Eu gemia, que delícia, percorria as minhas mãos pelas costas dela e ela continuava mamando os meus seios com muito desejo, às vezes dava mordidinhas e com sua mão apertava meu mamilo com seus dedos. Hmm… Ela então levantou, tirou o seu vestido, sentou do outro lado do sofá e abriu as pernas, expondo a sua boceta excitada para mim.

- Vamos brincar? Quer começar por qual brinquedo? - Luana disse enquanto se tocava olhando fixamente para mim.

A minha vontade era cair de boca em sua xoxota, eu estava explodindo de tesão. Fui então e peguei o plug anal.

- Nossa Gi, no cuzinho assim, direto? - ela perguntou e eu sorri com cara de safada.

Desci, coloquei meu rosto entre as suas coxas e seu sexo já húmido e comecei a chupar para pedacinho da sua boceta. Passava a minha língua nos seus lábios vaginais, no seu grelinho e dava leves chupadinhas.

Ela gemia, e seu cuzinho piscava. Eu então lambuzei seu bumbum e logo coloquei o plug anal dentro vibrando. Ela gemia ainda mais alto e tentava se masturbar, mas eu segurava as suas mãos e pedia que aguardasse.

- Hmmmmm aaaaa - Luana gozou e ainda não tinhamos nem começado, mas quanto mais gozava mais ela queria gozar.

Eu então peguei o sugador clitoriano, posicionei o bocal bem posicionado com seu grelinho dentro e liguei. Meu plano era dedar a sua vagina enquanto o sugador trabalhava em seu grelinho mas não deu tempo, Luana teve um orgasmo múltiplo em menos de 2 minutos.

- Hmmmmmm aaaaaa - ela gemia alto, seu corpo todo se contorcia e ela apertava os seus seios com força.

- É bom assim? - olhei surpresa e perguntei, vi ela toda molhada e tendo espasmos do orgasmo que acabara de ter.

- Deixa eu fazer em você - Luana disse e eu logo topei.

Ela levantou ainda meio bamba pediu que eu deitasse no chão da sala, e assim o fiz. Luana pediu então que abrisse as pernas flexionadas, ela então pegou o microfone e começou a massagear o meu grelinho enquanto percorria os seus dedinhos pela minha boceta. Ela explorava cada dobrinha, cada pedacinho da minha xoxota e aumentava gradativamente a força do vibrador.

Aquilo era tão bom, tão intenso, olhava para o teto e via as cores das luzes de natal. Segurava os meus seios, me contorcia e ela logo enfiou dois dedos dentro de mim. Com uma mão segurava o microfone vibrando intensamente no meu grelo, e com a outra mão enfiava os seus dedos em mim, dentro e fora em um ritmo constante.

hmmmmmm aaaaaa gozei me contorcendo, parecia que eletricidade passava pelo meu corpo, e então sem aviso, durante meu orgasmo ela encaixou o sugador clitoriano em mim e rapidamente colocou em uma intensidade alta.

Eu gritei, gemi, me contorci. Vi cores novas, fui a outra dimensão, sentia meu sexo pulsando de uma forma que ainda não conhecia e logo jorrei, tive um grande squirting no chão da sala, molhando tudo, inclusive a minha mulher que me olhava impressionada.

Luana queria mais, e eu também. Ela logo desceu entre as minhas pernas e agora me chupava delicadamente, eu fui me recuperando mas ainda tinha muito tesão dentro de mim. Luana então se levantou, vestiu o strapon e dildo. Ela mantinha o vibrador anal dentro de si, não tirou em momento algum. Me colocou de quatro e começou a chupar o meu cuzinho e dar tapinhas na minha boceta por trás. Eu por minha vez esfregava o meu clitóris rapidamente e gemia muito alto. E agora Luana me penetrava com seu dildo.

Hmmmm aaaa gemi, fui sentindo aquele dildo grosso e texturizado me preenchendo e me massageando por dentro. Luana foi fodendo, metendo dentro e fora com velocidade e força. Eu empurrava meu corpo contra o dela, queria mais, muito mais! Ela sentia o meu desejo e metia cada vez com mais força dentro de mim. Logo jorrei, novamente ali, tive um orgasmo múltiplo e senti meu corpo todo tremer. Luana também gozou e se deitou ao meu lado.

- Nossa amor, o que foi isso? Que intenso, mas ainda quero mais, esse vibrador no meu cu me deixa muito acesa.

E esse foi só o começo da nossa noite de natal, transamos até o dia amanhecer, sinceramente não sei dizer quantas vezes gozamos porque realmente foram muitas. No dia seguinte ficamos na cama de recuperação o dia todo, mas posso dizer com confiança que esse Natal foi muito gostoso e inesquecível.

Que tal seguir o nosso podcast e receber notificações a cada nova publicação? Assine o nosso canal no Spotify, ITunes ou Google Play, é grátis! Clique no ícone abaixo para assinar.