Frete Grátis: Acima de R$250 em mimos 💖 / Em até 3x sem juros ou 12x no cartão.

Carrinho Fechar

Ver Menu Lateral

Lembrança Molhada

conto erótico sexo lésbico entre namoradas

Conto Erótico - Lembrança Molhada

Prefere ouvir? 👩🏻‍🎤 Não tem problema, clique play 👇 e ouça o conto erótico narrado por nós.

 

Dia 3 de Setembro de 2020, pode olhar aí na tela do seu celular, é hoje mesmo, hoje fazem exatamente 150 dias em que eu estou isolada no meu apartamento. Nem reclamo muito na verdade, nesse tempo entendi que poder ficar em casa e trabalhar de casa é um privilégio que nem todo mundo tem na pandemia, então nesses últimos meses já fiz de tudo um pouco para me distrair e tornar esse período menos entediante… Comecei algum curso online, digo algum porque nem lembro mais sobre o que era de tão entediante… Comecei yoga também e parei… Um dia 100% surtada achei que meu apartamento estava com uma energia pesada, e então passei umas semanas trocando tudo de lugar e limpando tudo.

No meio de toda a limpeza energética acabei encontrando uma caixinha da época da faculdade, lá encontrei uma série de fotos e memórias que deram aquela esquentadinha no coração, sabe? Nós éramos tão jovens, tão cheios de energia! Ter encontrando essas fotos foi um refresco! E uma delícia também, porque naquelas fotos tinham pelo menos 4 pessoas com quem eu tinha transado durante a faculdade, e lembrar uma boa foda é tudo né amores?

Priscila, a minha rainha do deserto… Ninguém fazia a minha boceta molhar como ela, Priscila chegava de mansinho, só ao vê-la se aproximando eu já ficava excitada. E quando na mesa com os amigos ela colocava a mão entre as minhas pernas? Hmmm Meu Deus, eu delirava de tesão…

Silvana, ou Sisinha, a rainha da siririca… Que mulher, e que mãos, ela era rápida, intensa, e seus dedos rígidos e deliciosos... O auge minhas amadas ouvintes era sentir aquela mulher me dedilhando enquanto chupava a minha boceta, caralho que delícia… Nunca mais encontrei alguém tão ágil com a mão quanto Sisinha…

Odete, a rainha da caminhonete, que mulher…. Ela chegava na faculdade com sua caminhonete vermelha, e aquela caminhonete era mais um motel do que um carro na verdade. Odete era cachorrona, sabe? Ela entrava na sua caminhonete e eu sentia aquele cheiro de sexo maravilhoso, eu entrava em seu carro e pensava que ela provavelmente tinha acabado de transar com alguém, mas não ligava, Odete era viril e intensa, o sexo com ela era escandaloso e gostoso. Foi ela a primeira pessoa que me pediu para sentar em seu rosto, e ela me devorava, hmm…

E por fim, minha grande paixão, a Zui, rainha do meu coração... Com ela passei o último ano inteirinho da faculdade, ela era inteligente, linda, engraçada e fazia um drink como ninguém. O sexo com Zui era inovador, todo dia ela trazia algo diferente para a cama! Bom, todo dia não né amadas, até porque nunca fui de transar todos os dias, mas enfim vocês entenderam né? Ela adorava se fantasiar e trazer brinquedinhos para cama, eu amava, cada foda era uma nova descoberta.

Eu lembro até hoje como foi a nossa última transa, Zui tinha espírito livre e dizia que São Paulo não a fazia bem, dizia que queria morar em Salvador, que a vida era só uma e dedicar toda a sua existência ao trabalho e dinheiro não fazia sentido… Bom, errada não estava né? Eu ainda muito jovem não a entendia, não éramos compatíveis nesse ponto, eu sempre quis ser diretora de uma agência, já me via grande assinando grandes campanhas publicitárias, trabalhando até tarde, sabe? Zui dizia que eu estava delirando, falava do capitalismo, dizia para eu não romantizar o excesso de trabalho e tentava ao máximo me convencer a ir viajar com ela após a nossa formação. Ela comprou a passagem e eu não.

Fomos almoçar, era até difícil engolir a comida, nós estávamos comendo em um restaurante da Consolação, lembro o local e o prato que pedimos, lembro de ver as pessoas passando por nós e sorrindo, sem nem imaginar a tristeza que estava sendo aquele amargo almoço. Após isso fomos para o apartamento dela e fui tomada pela nostalgia. Estava vazio, limpo, apenas com um colchão na sala, geladeira e uma cadeira dessas de bar, Zui dava vida para aquele espaço e agora sem ela tudo o que sobraria era mais um apartamento dentro dos milhares que existem no centro de São Paulo.

- Credo garota, chega de tristeza! - Zui disse alto.

Olhei pra ela com carinha triste e abri os meus braços, e ela veio sorrindo com aquele sorrisão lindo, me abraçou tão forte e começou a cantar baixinho a nossa música. Todo casal tem uma né? E devagarinho fomos embalando uma dança juntinhas, minhas lágrimas foram escorrendo pelo meu rosto e de repente ela parou de dançar, se afastou um pouquinho, e disse:

- Amor, para de tristeza, foi bom, aliás é bom… A vida é boa, você é linda, eu vou ser feliz em Salvador e você vai dominar essa selva de pedras, tá bom?

Ela falava enquanto enxugava as lágrimas do meu rosto.

- Você fica aqui, eu vou descer ali rapidinho e vou comprar umas coisinhas pra gente animar, tá bom? Meia horinha e eu volto.

- Meia hora? Vai onde? Eu vou também.

- Não, vou sozinha, é surpresa, me espera aí e eu já volto.

Concordei, eu me sentia preparada para chorar muito assim que ela saísse por aquela porta e assim o fiz. Chorei, rolei pelo colchão e gritei aos céus porque? porque?

- Nossa Má, porque o que?

Zui entrava pela porta do apartamento com cara de assustada

- Porque me abandonastes? Eu dizia

- Amada eu só fui comprar uns mimos, credo Má vai lavar esse rosto e faz uma gin tônica aí pra gente.

Zui pedia já assustada com todo o meu drama. Eu acho que estava exagerando no drama mesmo né, esse é meu jeitinho… Enfim, levantei e fui lavar meu rosto, voltei e já fiz as gin tônicas.

- Pronto Zui, toma aqui o seu drink de despedida. disse para ela enquanto dava um golinho no meu.

- Tomo, mas quero me despedir de você também.- Ela disse e sentou ao meu lado, aquele sorriso eu já conhecia, ela queria mesmo era transar e eu também né.

Zui bebia e olhava para mim, sorria e bebia mais um gole do seu drink. Devagarinho ela colocou a sua mão sob as minhas coxas e foi fazendo carinho com as pontas dos seus dedos… Que arrepio gostoso que eu sentia.

- Tá calor né? - Eu disse e arranquei meu shorts e blusinha, apenas ficando de calcinha e com os meus seios à mostra.

Zui olhou surpresa, e logo colocou um dos meus seios em sua boca.

- Hmmm mama gostosa - eu dizia enquanto Zui passava a sua língua ao redor dos meus mamilos, ela lambia e chupava, logo estendeu a sua mão para o meu outro seio e se lambuzou neles.

Ela então me deitou e começou a me beijar, eu sentia o gosto do gin com limão em sua língua e aquilo era delicioso. A sua língua se entrelaçava a minha e enquanto nós nos beijávamos eu já podia sentir a minha boceta pulsar de tesão, eu latejava de prazer e mal poderia esperar pelo que viria. Entre os nossos beijos Zui desceu a sua mão, foi alisando a minha barriga e por fim chegou na minha vulva.

- Hmm que quentinha e molhada - Zui disse olhando em meus olhos e eu apenas gemia. - Você quer que eu coloque o seu bucetão na minha boca? - Ela perguntou olhando pra mim, e eu gemia cada vez mais alto, apenas a mão dela sob a minha vulva me fazia delirar de tesão.

Zui então foi descendo e dando beijinhos por todo o meu corpo, até que chegou à minha boceta e logo começou a brincar com os seus dedinhos e língua. Ela lambia e depois passava seus dedos por todas as dobrinhas da minha xoxota. Chupava meu grelinho e me dedava. Parava, dava tapinhas na minha boceta e voltava a massagear o meu clitóris. E eu já não aguentava mais aquela brincadeira toda, era tão intenso e tão gostoso, logo em que ela começou a me chupar com mais intensidade eu gemi e gozei, gozei muito. Ainda com o corpo todo trêmulo pedi por mais.

- Continua, quero gozar a noite inteira com você. - Eu disse olhando pra ela, e ela foi logo tirando a sua roupa. Eu podia ver o seu rosto lambuzado pelos meus sucos vaginais e aquilo era muito excitante.

- Já volto. - Zui disse e foi ao banheiro, logo ela voltou com um strap-on e um dildo, nós nunca tínhamos tentado aquilo, já tinhamos usado todos os brinquedinhos possíveis mas a cintaralho era novidade!

- Gostosa! - gritei e comecei a aplaudir, Zui então brincalhona que é, começou a desfilar para mim e juntas rimos muito. - Vem agora, me mostra o que você faz.

Eu disse e virei de quatro para ela, deixando a minha lambuzada boceta prontinha para Zui. Coloquei minha mão por baixo, entre as minhas pernas, fui acariciando e dando tapinhas na minha boceta para provocá-la. Logo a sala foi tomada por um silêncio, virei meu rosto para ver Zui e ela estava hipnotizada olhando para mim.

- Vem logo.

Eu disse e continuei o que estava fazendo, logo senti o rosto de Zui entre as minhas pernas e ela foi logo chupando a minha xoxota mais uma vez. Aquilo era tão gostoso, o meu corpo todo estremecia de prazer.

- Devagarinho, abre essa bocetinha vai e massageia seu grelinho. - Zui foi dizendo e começou a me penetrar.

Fui sentindo o seu dildo preenchendo a minha vagina e aquilo era tão intenso e gostoso. Logo comecei a empurrar o meu corpo contra o dela, queria aquilo tudo dentro de mim.

- Calma gulosa, delicia, você quer né? - Ela foi dizendo e metendo cada vez mais rápido e com força em mim, eu não aguentava mais e fui jorrando na cama, minha boceta pulsava tão forte, meu grelinho estava tão sensível…

- Hmmmmm Hmmmmmm - gozei, jorrei, tive um squirt pela primeira vez e ali enquanto ela me comia de quatro.

- Você teve um squirt? - Zui perguntou surpresa enquanto diminuía o ritmo da penetração e eu com a voz trêmula disse que sim.

Ela logo arrancou a sua cintaralho e enfiou o seu rosto entre as minhas pernas. Zui foi me chupando, me lambendo e enquanto isso ela se tocava. Eu podia escutar o barulho da sua siririca, ela estava tão molhada como eu e me devorava com a sua boca.

Logo Zui me fez ir aos céus, estrelas e espaço mais uma vez, gozei intensamente. Aquela trepada estava sendo tudo, mas eu ainda precisava provar do gostinho de Zui, então fizemos um 69 e eu me deliciei muito, muito mesmo. A tarde e a noite foi regada de prazer, sexo e muitas risadas. Nossa amadas, que loucura né?

Ufa! Relembrar é viver! Enfim, ainda sobre a caixinha, além das fotos encontrei o Robotron dentro de uma bolsinha de algodão, o vibrador que a Zui me deu ao se despedir de mim na manhã seguinte do nosso sexo. Meu robotron nem se comparava com os novos mimos que eu comprei na quarentena, mas ele tem um espacinho especial no meu coração (e xoxota, é claro).

Achou que acabou? Cabou não migas, após encontrar essas fotos eu mandei algumas para Zui e desde então falamos todos os dias, até sexo na webcam estamos fazendo, risos… Já temos mil planos para o nosso pós quarentena! Quem sabe eu volto aqui para relatar o nosso sexo de reencontro, né?

Que tal seguir o nosso podcast e receber notificações a cada nova publicação? Assine o nosso canal no Spotify, ITunes ou Google Play, é grátis! Clique no ícone abaixo para assinar.

 

 

QUE TAL UNS MIMOS?
compre em até 3x sem juros

Vibrador e Massageador Elvira
R$ 92,80
Vibrador Rabbit Tina com Sugador Clitoriano
R$ 589,90
Vibrador Plug Anal com Bullet Dada
R$ 168,80

4 comentários

  • Postado em porBelle

    Socorro que delicia de conto
    Todo o contexto, a memoria afetiva do relacionamento…
    Ainda mais ouvir a narradora enquanto usando um rabbit da pantynova neh meuamô, nao tem oq superee

  • Postado em porBelle

    Socorro que delicia de conto
    Todo o contexto, a memoria afetiva do relacionamento…
    Ainda mais ouvir a narradora enquanto usando um rabbit da pantynova neh meuamô, nao tem oq superee

  • Postado em porDuds

    Eu A D O R O os contos eróticos!! E a Narradora então deixa tudo mais legal!!!

  • Postado em porAnny

    meu favorito de longe!!!

Deixe um comentário

Os comentários serão verificados antes da publicação

You have successfully subscribed!