conto erótico sexo a três karaokê

Karaokê Triplo

Conto Erótico - Karaokê Triplo

Prefere ouvir? 👩🏻‍🎤 Não tem problema, clique play 👇 e ouça o conto erótico narrado por nós.

 

Oi, amadas. Venho contar uma história que aconteceu comigo há uns anos, em uma fase divertidíssima da minha vida de solteira. Nessa época, eu, a Camila e o Rafa fazíamos muitos rolês juntos. Como éramos praticamente vizinhes, a gente se arrastava pra tudo quanto é lugar: das melhores festas até a cervejinha de leve no nosso bar preferido do bairro. Era o trio da amizade que dava uma movimentada boa pras paqueras da solteirice. As situações mais divertidas surgiam nessas saídas, principalmente naqueles dias que a gente não esperava nada e que por pouco não ficou em casa de pijama.

O aniversário da Camila estava chegando, mas ela não estava no clima de comemorações. Eu e Rafa insistimos de que por mais que não quisesse fazer uma festa, aquela data tão importante não poderia passar em branco. Eu amo comemorar aniversário e sempre incentivo as amigas a comemorarem. Sabia que apesar do desânimo do momento, Camila adorava uma bagunça.

- De jeito nenhum que a senhora vai pra casa sozinha dormir cedo no seu Aniversário - eu disse.

- Pelo menos uma cervejinha perto de casa - Rafa insistiu.

Depois de muita insistência, ela concordou e nos encontramos no “nosso bar”. O dia tinha sido puxado no trabalho e já estava super cansada, mas foi só a gente se encontrar que o clima já era outro. O garçom, que já conhecia a gente, trouxe um shot de presente quando contamos que era aniversário da Camila. Estávamos nos divertindo muito relembrando dos flertes que surgiam nas nossas saídas malucas. Depois de mais algumas cervejas Camila, já tinha mudado de opinião sobre a comemoração:

- Tá muito cedo ainda, gente! Sabe o que me deu vontade agora? De cantar num karaokê!

- Pra quem não queria nem comemorar tá bem animada pra uma quarta-feira, hein, amiga?!, eu disse.

- Por isso mesmo! O bar vai estar vazio. Podemos cantar várias músicas e voltar cedinho pra casa.

Chegamos no bar do karaokê e Camila estava certa: o lugar estava bem vazio e a animação logo tomou conta da gente. Colocamos nossos nomes na fila pra cantar e trocamos a cervejinha de antes por drinks. Escolhemos a mesa mais próxima ao palco e esperamos chegar a nossa vez de cantar.

- Não posso perder esse música de jeito nenhum!, diz Camila e corre pro palco se juntando a um grupo de desconhecides que já estavam ali cantando. - Chega de mentiraaas, de negar o meu deseeeeejo, eu te quero mais que tudoooo...

- Eu preciso do seu beijoooo..., continua, a menina que cantava antes de ter sua música invadida pela aniversariante animadíssima.

- Pra você fazer o que quiser de miiiiim...É o quêêê?? Só quero ouvir você dizer que sim, Camila cantou apontando pra mim.

- Hahaha miga, sua loka! Desce daí! Vem comigo pegar um ar lá fora e fumar um cigarro, vai, eu disse.

Já tínhamos tomado mais drinks do que cantado músicas, o que indica que já estávamos um tanto alterades quando Camila e Rafa me acompanharam até a calçada.

- Amo essa música, diz Camila e segue cantando: E nessa loucura, de dizer que não te quero... vou negando as aparências, disfarçando as evidênciaaaas...

Rafa me puxa e me dá um beijo molhado, de surpresa. Camila assiste bem atenta ao nosso lado e quando esse beijo termina, sem mais negar as aparências, ela me puxa pela cintura. Com a mão na minha nuca, ela puxa meus cabelos de leve, aproxima bem os seus lábios dos meus e me beija com vontade. Ao mesmo tempo, Rafa segurava na cintura das duas, Camila vira pra ele e começa a beijá-lo. Eu assistia e sentia aquilo tudo enlouquecida. Sem nenhuma noção do tempo, ficamos ali na calçada no karaokê trocando beijos e carícias entre todes.

Já era tarde da noite e o bar já estava bem mais movimentado. Rafa buscou novos drinks, enquanto esperávamos em pé, ao lado do palco, a nossa vez de cantar. Ele volta e dá um selinho demorado em cada uma de nós. Bebemos um pouco dos nossos drinks enquanto nos olhávamos com um sorrisinho safado no canto da boca. Eu me aproximo mais da Camila e volto a beijá-la. De repente, retomamos a cena da calçada ali dentro do bar. Era como se mais nada existisse, além de nós três. Rafa me beijava, parava e olhava para as duas com desejo; beijava Camila e, depois, eu e Camila nos beijávamos ao mesmo tempo em que ele acariciava os cabelos das duas.

A essa altura, já estávamos dando um show grátis pro bar inteiro, nos agarrando bem ali do lado do palco. Acho que ninguém devia estar prestando mais atenção em quem estava cantando. Só nos demos conta do nível da nossa euforia quando o segurança veio, com muita gentileza, nos dar duas opções: ou nos comportávamos ou estávamos convidades a sair de lá. Confesso que concordo com o segurança (risos).

Tínhamos perdido completamente a noção... Saímos do bar gargalhando e voltamos a nos agarrar na calçada, sem conseguir nos controlar.

- O que acham de irmos lá pra minha casa? – eu sugeri, excitada.

- Vamos!, responderam, ao mesmo tempo.

Pedimos um táxi e, no banco de trás tentávamos nos segurar, no caminho todo, em silêncio completo. Eu sentei no meio e sentia suas mãos alisando, discretamente, minhas pernas. Coloquei também as mãos em cima de suas coxas, fui apertando de leve e arrancando suspiros fortes. Entramos no elevador entre risinhos nervosos e, ao mesmo tempo, excitades com essa situação nova e inesperada. Quer dizer, completamente inesperada, não. Eu sempre tive um crush na Camila. Acho ela linda e nutria um tesão secreto por ela. Mas nossa relação sempre se manteve só na amizade. No fundo, era uma situação que eu já esperava há muito tempo. E tudo indica que ela sentia o mesmo. Mal podia acreditar...

Chegamos em casa e foi só fechar a porta que já voltamos a nos beijar. Começamos a nos despir juntes e bem lentamente. Era quase como se nossos movimentos fossem coreografados, de um jeito muito sensual. Quanto tesão junto no mesmo ambiente! Quando nossas roupas já estavam espalhadas pelo chão, sentia minha bucetinha inchada e pulsando de tanto tesão. Camila beija meu pescoço e desce sua língua até chegar nos meus seios. Ela começa a chupar meus peitos com muita vontade enquanto segura os dois com as mãos, ao mesmo tempo que sinto a boca macia do Rafa me beijando.

- Que delícia seus peitos..., ela diz me encarando. Nisso eu paro de beijar o Rafa e toda minha atenção está dedicada à ela.

- Agora é minha vez, eu disse e começo a chupar seus peitos com muita vontade.

Como os seios dela eram lindos! Quase não acreditava que aquilo tudo estava acontecendo. Mas eu queria mais! Queria sentir seu corpo todinho.

- Quero chupar sua bucetinha, deixa?, eu disse.

Ela sentou no chão e abriu as pernas bem devagar, se apoiando nas mãos com os braços jogados pra trás. A visão daquele corpo maravilhoso ali, me querendo, me enlouqueceu. Desço até o chão e começo a lamber, bem devagarinho seu clitóris. Lambia bem devagarzinho e depois aumentava a velocidade e enfiava minha língua com muita sede. Queria me lambuzar nela... Volto a chupar seu clitóris e enfio os dedos em sua vagina que estava completamente molhada, quase derretendo.... Com uma mão enfiava os meus dedos e com a outra apertava os seus peitos. Como eram macios e gostosos. Ela gemia de prazer.

- Ahhhhhh, que gostoso...assim eu vou gozar, disse ela.

Eu que já estava explodindo de tesão começo a movimentar meus dedos com mais intensidade. Sua respiração fica mais forte e ofegante. Ela geme alto de prazer até gozar:

- AH, AH, AH, AHHHHHHHHHHHH...

- Agora eu também quero brincar, disse Rafa.

Como se nos recuperando de um transe, lembramos que ele também estava ali. Nos levantamos do chão e o arrastamos até o quarto.

Era claro que a noite era das duas.Porém, já que ele fazia uma participação especial, ele merecia também um pouco de atenção.

- Agora é a minha vez de chupar uma xoxota!, disse ele quando me jogou na cama e começava a me chupar ao mesmo tempo que Camila me beijava na boca.

Como ele chupava gostoso! Se lambuzava enquanto me lambia e alternava com batidinhas no clitóris. Eu já estava quase gozando, mas eu ainda não queria gozar. Queria curtir mais toda aquela putaria toda. Queria mais! Afasto a cabeça dele e, quando ele se levanta, vejo um volume enorme pulsando dentro da sua cueca.

- Vem, quero sentir esse pau dentro de mim, eu disse.

Ele tira a cueca, eu me viro e fico de quatro na cama. Sinto seu pau duro deslizando na minha xana molhadinha. Sinto seu pau grosso preenchendo lentamente minha buceta toda enquanto ele me segura com as duas mãos, com força pela cintura.

- Isso...mete esse pau todinho em mim, digo gemendo.

Ele começa a meter com mais intensidade. Sinto seu pau grosso escorregando pra dentro e pra fora da minha buceta melada, cada vez socando mais fundo... Aperto bem minha xota e ele dá um gemido alto.

- Ahhhh, que gostosa que você é..., disse ele. Ao mesmo tempo, Camila se ajoelha na cama, de frente pra mim e começa a me beijar.

Meu corpo se contorcia, enlouquecida de prazer no meio daquilo tudo. Estava realizando uma fantasia e a realidade era muito mais saborosa do que tudo que já tinha imaginado. Me empolgando demais com todos esses estímulos, começo a movimentar o meu quadril acompanhando-o enquanto ele me penetra.

- Ai, ai... desse jeito eu não vou aguentar!, disse ele.

- Então para, Rafa, que agora eu quero chupar bem gostoso essa xoxotinha..., disse Camila.

- Ahhhh, que delícia...me chupa! Eu me deito na cama e ela começa a me chupar....

Ela me provoca bastante e começa a dar beijinhos na minha virilha e sua boca vai se aproximando aos poucos da minha buceta. Ela desliza dois dedos em volta dos lábios e brinca um pouco com o clitóris até enfiar seus dedos na minha vagina. Ah, como ela sabia provocar com aqueles dedos! Que tesão... Nisso, ela começa a me chupar com tudo, cheia de apetite. Ao mesmo tempo que ela fica de quatro, empina a bunda e chama o Rafa:

- Vem me fuder bem gostoso, vem!

Rafa agarra Camila por trás e mete seu pau com força na buceta dela enquanto ela continua me chupando. Ele comia ela com tanto tesão agarrando sua bunda com força. Eu podia ver o rosto dele se contraindo de tanto prazer. Que visão maravilhosa... Como sempre fui muito visual, assistir duas pessoas trepando enquanto eu era chupada, estava me levando à loucura! Meu corpo se contorcia todo e eu agarrava o lençol respirando forte. Não queria mais segurar o orgasmo! Eu estava prestes a gozar e sentia que Camila também. Sua boca tremia na minha buceta e ela já não conseguia mais se controlar.

- Eu vou gozar, vou gozar! Avisei, gemendo.

Eu gozo bem forte com aquela boca deliciosa. Rafa aumenta o ritmo, vai metendo mais forte e mais fundo enquanto massageia o clitóris da Camila e eles gozam juntos.

- E aí, amada, gostou da comemoração de aniversário?, eu perguntei.

- Nossa...se gostei?! Foi o melhor presente que já ganhei!, Camila respondeu, sorrindo.

Depois de toda essa diversão, nós três despencamos na cama e dormimos. Acordamos rindo relembrando dessa noite deliciosa. Passada essa noite, nossa amizade ficou muito mais colorida!.

Que tal seguir o nosso podcast e receber notificações a cada nova publicação? Assine o nosso canal no Spotify, ITunes ou Google Play, é grátis! Clique no ícone abaixo para assinar.

 

 

 


5 comentários


  • Aninha

    Meninas, que maravilha.
    Eu sempre curti contos mas não aguentava as pagina que existem por ai.
    Com essa leitura é mara! Amei essa pagina !
    Salvaram minhas siriricas!


  • Creuza Lima de Oliveira

    Quero conhecer a loja.


  • Bih

    Maravilhoso!!


  • Vitória

    Amei!!!


  • Juh

    Eu adorei mais ouvir do que ler.


Observe que os comentários precisam ser aprovados antes de serem publicados