Conto erótico dia das mães espelho espelho meu

Espelho, Espelho Meu...

Conto Erótico - Espelho, Espelho Meu...

Prefere ouvir? 👩🏻‍🎤 Não tem problema, clique play👇  e ouça o conto erótico narrado por nós.

 

Quinta-feira, 08:00 da manhã.

Pi pii pii piii

É o meu despertador me lembrando que já é hora de sair da cama, me espreguiço um pouco, faço carinho no meu gato e logo vou ao banheiro me preparar para começar o dia. Enquanto faço meu xixizinho matinal abro o meu whatsapp, e daí já sabe né? Toda manhã a mesma coisa, 500 mensagens no grupo da família, mais quinhentas no grupo de trabalho e mais 1000 da minha filha! Dou play como se fosse um podcast e escovo os meus dentes, lavo o rosto, tomo banho e tudo mais.

Saio do banho, 100% atualizada sobre todas as fofocas e pronta para ir tomar o meu café, enquanto falo comigo mesma sobre tudo isso eu olho no espelho, e pasmem.

- Ai gente que ruga é essa? - Falo comigo mesma enquanto aproximo o meu rosto ainda mais perto do espelho.

Olha, de verdade, eu não ligo para rugas, nem quero fazer cirurgia plástica, mas credo, uma ruga assim do dia para noite? Nem deu sinal que viria, sabe? Tirei logo uma selfie e mandei para a minha filha com uma mensagem de áudio.

- Léia, você que tá sempre falando de skincare, me ajuda filha, como que apaga essa ruga aqui?

- Ahahaha mãe, que isso, você está linda! Aliás você é linda, sempre linda!

- Obrigada filha, mas como eu apago essa ruga?

- Mãe para de ser doida e feliz aniversário!

- Nossa filha nem lembrava que era hoje, e que presentão que a minha pele me deu hein.

- Mãe, hoje eu vou passar com a Amanda aí rapidinho, vou levar um bolo e uns mimos, só não podemos ficar muito tempo porque estamos em semana de provas.

- Tá bom filha, te amo, e manda um beijão para a minha norinha mais amada.

Eu tive a Léia nos meus trinta e poucos anos, minha única filha, apesar de todos os problemas envolvidos na criação de uma criança, ela e eu sempre fomos parceiras, amigas de verdade, mas assim como a minha mãe e eu, nós temos alguns tabus, eu mesma nunca a ensinei nada sobre sexo, sei que ela deve ter aprendido na escola com as amigas e principalmente com a internet, mas eu mesma nunca consegui falar sobre essas coisas com ela, e acho que isso veio muito da minha criação, sempre senti um pouquinho de culpa por isso mas enfim, nunca realmente consegui deixar de lado esse tabu.

Bom, e porque eu tô falando disso? Calma que já já eu explico, mas voltando para a história, no mesmo dia lá pelas 8 da noite a minha filha tocou a campainha. Abri a porta e a vi, linda como sempre, com aquele sorrisão no rosto que dá um quentinho no coração, sabe? E ao seu lado a minha nora, que eu amo como se fosse uma filha! Ela também me abraçou e já foram logo animando a minha casa tão silenciosa.

- Mãe deixa eu ver - minha filha pegou no meu rosto com duas mãos e puxou pra perto de si. - Hmm, tá linda né, belíssima, essa ruguinha aí é seu charme! Não é Amanda?

- É sim sogra, está belíssima uma deusah! APLAUSOS! MAIS APLAUSOS! - Amanda dizia e a minha filha ia aplaudindo e eu não entendi nada.

- Ah gente... Que palhaçada, parem com isso, vamos sentar aqui ver um filme.

- Ainn mãe não podemos, nós temos que voltar correndo para casa estudar, amanhã temos um dia todo de provas.

- Nossa, e agora? Então nem chegaram e já vão?

- Claro que não né sogrinha, vamos cantar parabéns, comer um bolinho e dar os seus presentes. Olha, toma - Amanda foi logo pegando 3 chapeuzinhos de aniversário e colocou em nossas cabeças.

Enquanto isso, minha filha Lea foi pegando os pratos e acendendo as velinhas. Logo nos cantamos parabéns e eu apaguei as velinhas.

- Fez um desejo mãe?

- Fiz - respondi.

- Hmm, e qual foi?

- Não posso dizer né filha, se não ele não realiza.

- Sogra, e os namoradinhos?

- Ai minha filha preguiça viu, tem uns aí mas nenhum que valha a pena apresentar para vocês, pelo menos por enquanto...

- Hmm… Amanda disse com cara de curiosa enquanto comia um brigadeiro e um beijinho ao mesmo tempo.

- Mãe bora abrir os presentes, já precisamos sair, mas prometo que assim que acabar as provas a Amanda e eu vamos ficar aqui uns dias, pode ser?

Disse que sim e logo fui enchendo suas tupperwares com pedaços de bolo e docinhos para elas levarem, essa época de provas a gente bem sabe que nada como um docinho para ajudar né?

- Mãe pára, Amanda faz as marmitinhas aí por favor, mãe abre os seus presentes - minha filha disse e eu fui logo rasgando os papéis do primeiro.

- Ai filha que amor, um kit de cremes faciais! Mas é por causa da minha ruga? - Ela riu e logo nos abraçamos!

Voltei e já fui rasgando o segundo pacote, e era um perfume! Fui logo borrifando e foi paixão à primeira cheirada.

- Gostou sogrinha? Doce como você! - Amanda disse e eu logo dei um abraço bem apertado nela!

- Agora tem esse…

Minha filha disse envergonhada, e Amanda fez uma cara de climão.

- Ai mãe, espero que você goste mas só não briga com a gente, dá uma chance! - Elas foram falando ao mesmo tempo e fazendo caras e bocas.

- Nossa gente, me dê logo isso aqui, que clima… é um presente ou o que? - Logo fui abrindo e confesso que não entendi o que tinha lá…

A sala foi tomada pelo silêncio, eu fui vendo a caixa tentando entender.

- Sugatório? O que é sugatório? Opa li errado, eita, suga...dor... CLITORIANO?! Gente, o que é isso?

- É saliência sogrinha!!!!

Amanda disse e se escondeu atrás da minha filha, que estava completamente vermelha.

- Mãe não precisa falar nada, eu tenho um, a Amanda tem um, nossas amigas tem, é um brinquedinho revolucionário, quando você tiver tempo e se tiver vontade você usa.

- Filha meu Deus, que idéia foi essa?

- Mãe tchau! Te amo feliz aniversário - elas foram logo cortando o assunto, me enchendo de beijos e saindo pela porta.

Chegaram e saíram como dois furacões! Eu então enchi a minha taça com um vinho branco bem gostoso e dei play no primeiro filme que encontrei na Netflix. Nem sei dizer ao certo o que era, tentava prestar atenção mas estava ansiosa para testar os cremes que a minha filha me deu, logo desisti do filme e fui ao banheiro fazer o meu skin care.

Acendi umas velas, enchi a banheira e, lógico, trouxe o meu vinho comigo. Li as instruções daquela máscara facial e pronto! Estar ali, sozinha, em silêncio com meu vinho era tudo o que eu queria, e merecia!

Fecho os meus olhos e vou me ensaboando por debaixo da água, levemente… Sinto o sabão acariciando o meu corpo e o perfume se espalhando pelo ar. Minha pele vai ficando arrepiada e meus mamilos durinhos, então dou uma atenção especial aos meus seios. Com sabão vou os esfregando em movimentos circulares e constantes.

Enquanto massageio os meus seios eu lembro da minha última transa, foi com Pedro, um colega de trabalho, ele enchia as suas mãos grossas e pesadas com os meus seios e os lambia e chupava com muito prazer. Ele ia lambendo os meus mamilos e dando mordiscadas enquanto olhava para mim…. A memória daquele momento foi me deixando muito, muito excitada e quando vi minha mão já estava entre as minhas pernas.

Com minha mão direita eu apertava os meus mamilos e os massageava, e com a esquerda percorria os dedos na minha boceta. Sentia as dobrinhas, o meu clitóris… Hmmmm que gostoso...

Levantei as minhas pernas as apoiando nas beiradas da banheira, afundei mais um pouquinho na água e logo minha cabeça foi inundada de boas memórias. Agora lembrava de Carlos, um amigo de uma amiga que conheci em um barzinho da Vila Madalena, na noite em que nos conhecemos eu trouxe ele aqui para casa, e confesso que foi o melhor oral que recebi na vida.

Carlos era muito sacana e o que ele curtia mesmo era chupar boceta, em casa entre beijos e amassos ele foi logo descendo e colocando seu rosto entre as minhas pernas. A sua boca voraz consumia a minha xoxota, chupava, lambia, dedava… Era muito intenso e gostoso, lembro que minha xoxota ia jorrando em seu rosto e ele ia enfiando mais a sua cara em mim.

Sentir a sua barba, seus lábios carnudos me chupando… HMMMMM… hmmmm enquanto lembrava de Carlos me chupando eu me tocava por debaixo da água e logo senti a explosão do orgasmo se aproximando, fui me dedilhando e apertando mais os meus seios e hmmmmm, ah... gozei, que delicia.

Peguei a minha taça de vinho e percebi que já estava no final, com corpo ainda trêmulo do orgasmo eu me enrolei em uma toalha e corri para a sala para encher a minha taça. No caminho passei por um espelho que tem no corredor aqui de casa e deixei a toalha cair. Nem lembro quando foi a última vez que me olhei completamente nua em frente ao espelho.

Deixei a toalha ali no chão mesmo, enchi a minha taça de vinho e quando estava voltando para o banheiro lembrei do presentinho que a minha filha me deu, o tal do sugatório clitoriano. Então voltei correndo, peguei ele e trouxe comigo, passei mais uma vez pelo espelho, me admirei e comecei a me tocar, ali mesmo, em pé.

Não sei se pode ser considerado narcisismo, mas eu fui ficando excitada apenas me olhando, sem ter que lembrar de nenhum companheiro do passado. O formato dos meus seios, as minhas curvas, as dobrinhas da minha vulva… Aquilo tudo foi me dando muito desejo, e então decidi que minha próxima siririca seria ali mesmo.

Trouxe uma cadeira, coloquei a minha taça de vinho no chão, sentei, abri as pernas e comecei a me tocar. Ver meus dedos penetrando a minha vagina no espelho era muito mais excitante do que eu poderia imaginar. Os meus seios balançando, meus mamilos durinhos… Hmmm...

Aproveito que a minha boceta está inchada e molhada e pego o sugatório clitoriano, ops, sugador clitoriano. Tento ler as instruções mas eu estou tão excitada, vou apertando os botões e logo ouço um barulho

- Ta, 3 segundos e ligou, e agora é só colocar no clitóris - falo comigo mesma enquanto vou aprendendo com o manual. - Ai, hmmm, que gostoso - vou ficando surpreendida com o que aquele objeto faz na minha xoxota - Dez velocidades ?

Aperta aqui e… Click Click Click Click, rapidamente pulo para velocidade cinco de sucção e começo a sentir um prazer inimaginável, muito MUITO melhor do que a famosa chupada de Carlos.

A minha boceta vai pulsando, meu corpo esquentando, e sem aviso um orgasmo vem como eletricidade e explode dentro de mim! HMMMMMMMM, gozo ali, esguicho no espelho, meu corpo todo se treme e eu mal consigo entender o que acabara de acontecer.

- Mas, como??? Pergunto a mim mesma, olho o meu corpo no espelho, molhado, excitado e após retomar o fôlego tento usar aquele brinquedo mais uma vez.

Posiciono o bocal no clitóris, escolho uma potência mais baixa e enquanto ele funciona eu vou me dedando, vou intercalando dedadas com o sugador, também dou tapinhas na minha boceta enquanto me admiro no espelho, e assim, mais uma vez, como explosão outro orgasmo toma conta de mim, quase que sem aviso e ainda mais intenso do que o anterior. Hmmmm que gostoso.

E eu passei a noite assim, em frente ao espelho me siriricando, nua e com muito tesão. Até dormi com a máscara facial, acredita? Risos, mas foi o melhor sono da vida.

Confesso que nem nos meus mais distantes sonhos eu imaginava que pudesse me sentir assim, e então esse se tornou meu novo brinquedinho favorito. Isso mesmo amigas, novo porque eu tenho uma caixa cheia deles, só a minha filha que não sabe. Ela vive perguntando se eu usei ou não, eu morro de vontade de falar que sim, mas ainda tenho muita vergonha, então pago de durona… Mal sabe ela que uso todos os dias...

 

Que tal seguir o nosso podcast e receber notificações a cada nova publicação? Assine o nosso canal no Spotify, ITunes ou Google Play, é grátis! Clique no ícone abaixo para assinar.