Gozo de Verão

Conto Erótico - Gozo De Verão

Prefere ouvir? 👩🏻‍🎤 Não tem problema, clique play e ouça o conto erótico narrado por nós.

Era verão e estava muito quente, nós estávamos na estrada indo para alguma praia do litoral norte. O sol castigava e o céu estava muito azul com algumas poucas nuvens espalhadas na sua imensidão. Eu podia sentir que ela me olhava com desejo enquanto segurava firme o volante do seu carro conversível. Ela olhava para as minhas pernas, parecia que estava feliz por eu ter decidido usar uma saia curta naquele dia. Eu sei que ela ainda estava pensando sobre o sexo que fizemos na noite anterior, ela ama o jeito que eu a seguro com as minhas pernas quando fazemos amor. Fecho os meus olhos e penso nos momentos que compartilhamos na noite passada, abro os olhos e sorrio. Ela olha para mim e também sorri. Eu olho para baixo e percebo que ela está com a sua mão perto da sua xoxota… Então me aproximo do seu ouvido e sussurro como eu gostei das sacanagens que fizemos na noite anterior...

Coloquei a minha mão entre as suas pernas enquanto beijava a sua orelha. Fui tomada por um desejo inexplicável, eu precisava muito ter o corpo dela junto ao meu. Lambi a sua orelha lentamente, eu sei que ela curte isso e eu também.

Ela tremia e gemia enquanto segurava o volante com ainda mais força. Eu desabotoei a sua calça jeans e lentamente abri o seu zíper. Eu brincava com a sua orelha, a provocava dando beijinhos, lambidas e mordidinhas. Ela amava ouvir a minha respiração na sua orelha e sentir as minhas mãos sobre a sua xoxota. "Levanta um pouquinho amor" eu pedi ainda sussurrando. Ela levantou e eu puxei a sua calça para baixo. Eu a acariciava enquanto beijava a parte debaixo do seu lindo corpo.

Subi, desabotoei a sua camisa e beijei a sua pele. Segurei o seu mamilo entre os meus dentes e os chupava com muito desejo. Podia ouvir ela ofegante e percebi que ela foi diminuindo a velocidade do carro. Era difícil para ela se concentrar na estrada enquanto eu a tocava… Ela colocou a sua mão direita sobre a minha cabeça e acariciava o meu cabelo. Eu então desci um pouco mais e comecei a beijar a sua xoxotinha por de cima da calcinha. Fui além, tomada pelo tesão puxei a sua calcinha para ao lado expondo os seus lábios vaginais e clitóris. Lambi a sua xoxotinha devagarzinho enquanto massageava o seu clitóris com a minha mão. " Que delícia amor..." ela disse enquanto dirigia, e eu podia sentir a sua xoxota esquentando e o seu clitóris pulsando nos meus lábios.

Seu gemido foi ficando mais alto enquanto chupava a sua xoxota, eu passava a minha língua em seus lábios vaginais e brincava com o seu clitóris pulsante. Eu pude perceber que ela foi diminuindo cada vez mais a velocidade do carro, acho que ela não conseguia mais se concentrar na estrada. Eu me lambuzava na sua xoxota, chupava ela todinha, massageava e a provocava com os meus dedos...

As poucas nuvens que estavam no céu se tornaram mais e mais acinzentadas, quando percebemos já estava garoando. Ela então foi parando o carro e estacionou em algum acostamento deserto que achou no nosso caminho. Eu não queria tirar a minha boca da sua bucetinha, eu queria continuar ali mesmo, mas ela queria mais. "Eaí, vamos?" ela perguntou. "Sim! Claro!" eu falei excitada, nós pegamos um cobertorzinho que tínhamos no banco de trás e saímos do carro. Estava muito animada, estava prestes a realizar uma das minhas fantasias sexuais!

Como duas meninas levadas nós corremos para dentro da mata, jogamos o cobertor no chão e começamos a arrancar as roupas uma da outra, estávamos com sede uma da outra, ficamos nuas em segundos! A garoa agora era uma chuva leve, e o toque da água na nossa pele quente de sol era tão gostoso… Ela deitou e eu fiquei por cima dela, beijei todo o seu corpo… Eu tinha que terminar o que eu havia começado no carro, eu logo desci para a sua xoxotinha. Beijava os seus lábios vaginais e alternava com lambidinhas no seu clitóris, até o cuzinho dela eu lambi, eu estava muito excitada.

Chupei, chupei, e aquilo era muito delicioso. Ela gemia e apertava os seus mamilos, e eu me lambuzava nos seus sucos vaginais. Sentir o calor da sua bucetinha na minha boca era muito gostoso. Enfiei um dedinho para provocá-la, logo enfiei dois e vi que ela tinha se derretido na minha boca. Ela pressionava a minha cabeça com as suas pernas, e eu sabia que ela estava prestes a gozar. Chupei ela muito, devorei a xoxotinha dela, e ouvir os seus gemidos de prazer foi me deixando toda molhada… "Hmmmm" ela gemeu alto enquanto pressionava a minha cabeça entre as suas pernas. Eu pude sentir as vibrações da sua buceta, as contrações, e todo aquele suco delicioso na minha boca.

"Humpf amor, gozei…" Ela disse ofegante.

"Mas já? Nem começamos!" eu disse brincando. Sorrimos e nos deitamos lá, no meio do nada, nuas e debaixo de uma chuva leve.

Nos abraçamos, mas sem nem perceber eu já estava esfregando a minha xoxota em sua perna…

"Nossa, como você está molhada" ela me disse com tom de surpresa. Eu ri, e montei na sua perna, abri os meus lábios vaginais e fui esfregando a minha bucetinha em sua coxa e joelho. Me deu muito tesão ver a sua perna ficando lambuzada pelos meus sucos… Hmm...

Ela levantou a sua mão e começou a acariciar os meus cabelos molhados. Nós nos olhávamos o tempo todo, ambas estávamos entregues uma a outra. A sua mão foi descendo e ela começou a acariciar a minha xoxotinha, hmmm, enquanto ela me tocava eu também comecei a acariciar a sua bucetinha molhada. Eu amei a sensação dos nossos corpos juntos, molhados e debaixo da chuva.

Ela me segurou e me virou para baixo colocando o seu corpo sobre o meu. Começou a me beijar com muita paixão, logo foi beijando o meu pescoço e desceu para os meus seios. Ela os mamava e dava mordidinhas nos meus mamilos. Que tesão! E eu me contorcia, a minha xoxota estava muito pulsante, o meu clitóris já estava super sensível, eu achei que iria gozar ali mesmo! Ela então voltou a beijar os meus lábios, e enquanto me beijava com uma mão, segurava os meus cabelos, e com a outra massageava o meu clitóris.

"Hmm.. Me chupa vai, me chupa" pedi, eu estava prestes a gozar, mas eu queria gozar sentindo a sua língua explorando a minha vagina. Ela me chupa como ninguém, eu precisava ser chupada. Ela sorriu enquanto mordia os seus lábios e colocou o seu dedo encharcado com os meus sucos vaginais na minha boca, como que pedindo silêncio. Ela sempre soube o que fazer na cama, ela estava me provocando...

"Se vira, fica de bruços e levanta a bundinha pra mim" me pediu, e eu me virei. Ela estava atrás de mim, e num piscar de olhos eu senti a sua boca se afundando entre as minhas pernas. Enquanto me chupava ela trabalhava com as suas mãos na minha xoxota, com uma mão ela massageava o meu clitóris e com a outras ela brincava com os meus lábios vaginais. Eu gemia alto e empinava mais o meu quadril para ela, sentir o seu rosto me fodendo era delicioso.

"A sua xoxota está muito inchada, você está pronta para gozar?" ela me perguntou. E eu só gemi, e ela voltou a enfiar a sua cara na minha buceta. Ela então parou de tocar o meu clitóris e só enfiava a sua língua na minha vagina, o máximo que podia… Eu então comecei a me masturbar mas logo fui interrompida.

"Não, não goza agora, deixa que eu cuido de você, a sua bucetinha é minha" ela me disse enquanto me impedia de gozar. Ela então foi me provocando, apenas me penetrando com a sua língua quente e molhada, ela enfiava o máximo que podia dentro de mim. Isso foi me deixando louca, eu estava explodindo de tesão e queria muito gozar.

Ela então começou a chupar os meus lábios vaginais individualmente, ainda tomando muito cuidado para não encostar em meu clitóris. Eu gemia alto e pressionava a minha buceta contra a sua boca, nessa hora eu já não aguentava mais e voltei a tentar a me masturbar. E ela me impediu novamente.

"É isso que você quer?" ela me perguntou com voz de safada enquanto dava apertadinhas em meu clitóris. Nesse mesmo momento ela me penetrou com os seus dedos e começou a brincar com a minha xoxotinha. Eu me contorcia e gemia alto, eu já não me importava se alguém estava por perto ou poderia me ouvir. Eu era dela, estava completamente entregue. Ela então pára e volta a me chupar metodicamente, devagar e sem esquecer nenhuma partezinha da minha xoxota.

Ela então parou, se deitou e me convidou a sentar em seu rosto. "Vem aqui amor, senta com a sua buceta na minha boca". Ouvir ela falando assim me dava ainda mais desejo, eu sem exitar fui e montei em seu rosto. Enquanto ela me chupava por baixo, com a sua mão ela massageava o meu clitóris. E eu apertava os meus mamilos que já estava super sensíveis… Essa sensação combinada com o calor e o toque da chuva nas nossas peles, foi realmente muito excitante.

Ela pegou no meu quadril e me pressionava ainda mais contra a sua boca, e eu então gozei, gozei muito. Gemi alto, e joguei todo o peso do meu corpo em seu rosto. E ela não parava, ela continuava me chupando como se não quisesse que aquele momento nunca acabasse.

Caí para o lado, estávamos ofegantes e rimos juntas. Estávamos leves, acho que nem ela e nem eu acreditava no que tínhamos acabado de fazer.

"Precisamos voltar para o carro" eu disse. Ela se aproximou e me beijou, e ficamos em silêncio por pelo menos uns 10 minutos. Nuas, molhadas, abraçadas e debaixo da chuva.

 

Que tal seguir o nosso podcast e receber notificações a cada nova publicação? Assine o nosso canal no ITunes ou Google Play, é grátis! Clique no ícone abaixo para assinar.


Sugestão de produtos

 

 


1 comentário

  • Que aventura deliciosa.
    Eu fiquei aqui imaginando e querendo fazer também.

    Elba Simões

Deixe um comentário!